É bom pensar em cuidar da própria aposentadoria

A expectativa de vida aumenta e todo mundo sabe que teremos mais velhos que jovens em um futuro bem próximo. Com gente vivendo – bem – além dos 90 anos, fica fácil saber que o sistema previdenciário atual não vai aguentar pagar as aposentadorias. São os que trabalham, os ativos, que pagam as aposentadorias dos que não trabalham, os inativos. Diante deste quadro, é possível dizer que a aposentadoria, como conhecemos dos nossos pais, não existirá mais. A previdência social, pública, gerida pelo poder público, não terá condições de pagar os benefícios condizentes com a condição do contribuinte enquanto ele trabalhava. Os benefícios pagos serão cada vez menores.

E este quadro não fica restrito aos trabalhadores da iniciativa privada. Apesar de mais robusto, o sistema de pagamentos de benefícios para os servidores públicos também não vai garantir, por muito tempo, o mesmo padrão de ganhos a cada um dos servidores.

Engana-se quem acredita que o servidor público está garantido pelo resto da sua vida. Não está. O mundo está mudando muito rapidamente e não, absolutamente, nada que garanta que as aposentadorias públicas não possam ser mudadas em dez ou quinze anos. Dez ou quinze anos. Parece distante para quem hoje tem 25 ou 30 anos de idade. Mas, para quem está com 45 anos, esse horizonte é assustador. Pois, basta olhar pra trás e ver que há dez ou quinze anos, houve a formatura na faculdade. Ou, há dez ou quinze anos, houve a saída da casa dos pais. Enfim, dez ou quinze anos não são um horizonte de tempo muito grande.

Pois bem. Em dez ou quinze anos, a previdência, seja para o trabalhador da iniciativa privada, seja para o servidor público, não será mais a mesma. Vai ser pior. Os pagamentos serão garantidos, com certeza, pois isso é fator de manutenção da paz social. No entanto, seus valores serão relativamente menores. Bem menores.

Portanto, é necessário, sim, pensar seriamente na contratação de um plano de previdência privada.

Para quem está pensando em aderir a um plano de previdência privada, é recomendável ler muito sobre o assunto. Jornais e revistas especializados em economia costumam publicar matérias explicando como funciona e também sobre as empresas que gerenciam carteiras de aposentadoria particular.

Escolher uma instituição financeira é fundamental para o sucesso do negócio. Há muitas no mercado, e a escolhida pode ser, muito bem, o banco onde hoje o interessado recebe seu salário mensal. Na internet, os bancos também oferecem simuladores de contribuição mensal e quanto que será o benefício lá adiante, quando as chuteiras forem penduradas. É nesse cenário que entra um componente psicológico interessante: a simulação de quanto, por mês, pode ser destinado ao futuro. Enquanto não se contrata o plano, já dá para ir tirando, mensalmente, o tanto da previdência e ir colocando em uma aplicação tradicional, como poupança ou CDB. Desta forma, o “músculo do investimento no futuro” vai sendo treinado, sem muita dor.

Para os céticos, para aqueles que acham que o banco poderá quebrar no futuro e o investimento ir por água abaixo, vale a pergunta: você acredita que o governo vai garantir seu padrão de vida para sempre?

Por isso é importante pensar em cuidar da sua própria aposentadoria. 

Publicado por Miguelito Medeiros

Editor da Rivazto, consultor de Marketing, Comunicação & Política

Um comentário em “É bom pensar em cuidar da própria aposentadoria

Deixe uma resposta para Tomás Salotti Buchaim Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: